quinta-feira, 1 de dezembro de 2016

Meu eu

Quem mais ouve o lamento do triste ser
se não a lua fixada no teto da alma
num teto sem estrela, pintado de preto
e o ser nem pode sequer fazer juramentos
quem vai e quem fica neste triste mundo
pois não passamos de reles vagabundos
jogados pela vida já um tanto sofrida
sem ao menos ter uma chance de uma saída
com quantas espadas iremos nos defender
do vil demônio que quer nos atentar
e nem mesmo podemos nos ajoelhar
porque o nosso deus já a tempos tombou
e eu não pude honrar a hostilidade que me deixou
não tive tempo nem para corre e nem pra andar
faltou segurança no exato final

de dizer chorando que eu só queria te amar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário