sexta-feira, 30 de dezembro de 2016

Estrela

A estrela brilha acima da minha cabeça
e talvez eu nunca esqueça
a alegria que vivo agora
e quem sabe eu nem mereça.

A estrela na palma da minha mão
sentindo o aquecer do seu brilho
o bater forte do meu coração
amarrado no ferro do trilho.

Vem estrela solitária
me de um pouco de alegria
ressuscite o meu temor
me de só um pouco de calor.

E se você for embora
e o seu brilho apagar
não me diga nada
deixe o frio chegar.

Minha estrela
minha doce estrela
se for embora
morro nesta hora.

Minha estrela
minha querida estrela
se você ficar
pra sempre irei sonhar.


**POESIA CRIADA EM 1996

Nenhum comentário:

Postar um comentário