segunda-feira, 28 de novembro de 2016

Tristeza

Com o arder do peito
e do encher de lágrima os olhos
te tenho tão distante de mim
e sei que para sempre será assim.
Não sei o que faço com essa tristeza
que masturba meu corpo solitário
em renascente libido de podridão
me deixas assim tão infeliz então.
E como se já não bastasse isso tudo
me vens com estes olhos
que tanto tento esquecer
me lembras do beijo no rosto
que me fez um dia renascer.
Não quero viver num sonho
que nunca irei realizar
solidão é tudo que irei encontrar
enquanto eu te amar!


**POESIA CRIADA EM 2001

Nenhum comentário:

Postar um comentário