sábado, 15 de novembro de 2014

Dentro de mim

No silêncio oculto da minha alma
ouço vozes na minha cabeça
vozes que outrora foi minha
com juras, promessas e lembranças
que não era esquecida e sempre escondida.
Não tenho mais palavras para escrever
o poeta dentro de mim morreu
a poesia virou uma mentira
de alguém que um dia me conheceu.
Virei um mártir do sentimento
um herói em queda vertiginosa
perdi o gosto pela vida
ganhei a derrota, perdi a vitória.
Sei que isso é muito sentimentalista
mas é dificil exorcizar o coração
tenho medo da solidão
e a solidão tem medo da minha paixão.
Como suscitar o que nunca morreu
 como posso ser feliz
se na verdade ela nunca me conheceu
a dor da tristeza
a tristeza das palavras.
As palavras matam mais que um projétil
e eu morri pelas minhas palavras
que um dia eu disse sem querer
em uma festa, para uma mulher.

***POESIA CRIADA EM 1996

* FOTO DE ANDERSON IZIDORO

Nenhum comentário:

Postar um comentário