sábado, 11 de outubro de 2014

Flor


Te vejo como uma luz forte
um amor impróprio, incontido
algo que na vida de um homem
da vazão, da sentido.
Te vejo como o clímax da minha alegria
a sensação gostosa de ao teu lado estar
te abraçar, te beijar
a feliz ideia de te reencontrar.
Te tenho no altar do meu coração
pois sou teu anjo caído
a mais pura e bela lembrança
dos teus lábios nos meus ter sentido.
Te quero mais do que tudo na vida
como o colibri quer a flor
te fazer feliz
para merecer o teu amor.

***POESIA CRIADA EM 1996

Nenhum comentário:

Postar um comentário