domingo, 21 de setembro de 2014

Sonho de natal



É com o choro da criança
que sai do meu peito
que me desperta neste natal
a criança indefesa
a criança pobre
mas alimentada, mal amada
sem um futuro promissor
é a criança cheia de dor
que me faz chorar.
Outrora uma criança
repudiada, ignorada
Aonde vais?
O que tens?
Não tens futuro
a criança constrói o futuro
eu sou o futuro
não sou mais a criança
sou o homem
com futuro, sem sentido
ainda sou a criança, nada mal
mas também sou um homem
que vive o sonho de natal.

**POESIA CRIADA EM 1995

Nenhum comentário:

Postar um comentário