domingo, 18 de novembro de 2012

Jantar-me em uma tarde sem sol




Vem a lentidão das lágrimas
que caem dos meus olhos
com extrema inadimplência
do amor, da coragem e da conseqüência.
Do amor que me trouxe aqui
por ruas, bares e tristezas
e ao olhar olhos tão lindos
pegou-me pela minha fraqueza.
Da coragem que me fizeste ter
em peitar tudo e todos
e dar vazão aos meu sentimentos
pois dependíamos daqueles momentos.
Mas a conseqüência veio
e tive que ver os meus erros
tantos que perdi a conta
pois é o amor quem apronta.
E!
Vem a lentidão das lágrimas
que caem dos meus olhos
pois ao levantar a minha cabeça
eu sinto a sua ausência.

**POESIA CRIADA EM 1995

Nenhum comentário:

Postar um comentário