domingo, 15 de julho de 2012

Sonho



No meu sonho, eu convidava você para dar uma volta, nos fomos a uma duna em frente ao mar, você sentou-se e eu fiquei em pé a sua frente, dando-lhe as costas.
- você está magoado comigo? – perguntou
Sem me virar respondi.
- tenho tanto com o que me preocupar, porque eu ficaria magoado com algo tão pequeno!
Eu estava de costas, mas senti que seus olhos entristeceram e seus lábios tremeram antes de fazer a próxima pergunta.
- então você acha que foi pequeno o que passamos juntos, não foi nada?
Sua voz estava trêmula, ela estava nervosa, me virei e olhei nos olhos, eu conhecia seus pontos fracos.
- não – respondi – foi pequeno pra você, não foi nada pra você, mas pra mim... Foi um engano, um terrível engano, você nunca me amou você só me usou para conseguir a tua liberdade.
- não é verdade!
- é verdade!  - eu afirmei – e você sabe, quando se ama de verdade, não se abandona sem mais e nem menos, quando eu mais precisei de você, quando minha vida estava afundando, você me deixou isso por acaso é amor?
Eu te amei, eu te amo – você me disse
Eu ri você estava trêmula demais e já havia lágrimas em seus olhos, eu tinha vontade de te abraçar e te fazer carinho, te falar que eu ainda te amava, mas eu não podia, não queria e tinha medo.
- você é feliz – falei – me teve a todo instante e eu... Eu sucumbi num mar de tristeza, nunca tive você de verdade.
 Eu saio caminhando em direção ao horizonte, quando ouvi você gritar que me odiava, quando ouvi o seu grito, fui eu quem acordou gritando.

**POESIA CRIADA EM 1994

Nenhum comentário:

Postar um comentário