domingo, 8 de julho de 2012

Poeta calado



Meu peito dói, meu peito grita
apesar do tempo que faz
o meu coração ainda palpita
e por não te querer, te quero cada vez mais.
Meu coração recusa qualquer olhar
ainda insiste naqueles que tanto amou
e num breve momento, um suscitar
daqueles instantes que nunca passou.
Mas até mesmo os poetas
choram e amam de verdade
até mesmo os poetas
sabem o que é saudade.
Então meu peito dói, meu peito grita
por eu ser um poeta apaixonado
meu peito se irrita
seu dono é um poeta... calado.

**POESIA CRIADA EM 1994

Nenhum comentário:

Postar um comentário