domingo, 17 de junho de 2012

Monólogo de um poeta



Mesmo que alguém se vá
alguma coisa sempre fica
pode ser uma lembrança
e mesmo que doa no coração
lembraremos de alguém
alguém que se foi
mas sempre estará presente
no âmago do nosso ser
mas ser com quem se foi
sabe-se como dói
simplesmente dizer “oi”
ou um olhar qualquer
mesmo tão distante e tão perto
sempre lembraremos
que já amamos uma mulher
mesmo que alguém se vá.

**POESIA CRIADA EM 1994

Nenhum comentário:

Postar um comentário