domingo, 27 de maio de 2012

Declaração



Se eu choro deixo uma lágrima cair
que vai zombando da minha face
e como um frio que corta a noite
a minha rotina perde a noção
e com as palavras já escassas
desta minha declaração
vejo então esta minha lágrima
cair na palma da minha mão
fica tudo diminutivo e sem noção
tão trêmulo da voz e da razão
que da vazão a outra existência
abstenho-me e me divulgo
uma lágrima de um poema insano
tantos rodeios e tantos suscitar
só pra dizer que eu te amo!

**POESIA CRIADA EM 1994

Nenhum comentário:

Postar um comentário