domingo, 15 de abril de 2012

Cortinas vermelhas


Acredito fielmente em espíritos
no seu rosto na parede branca
na sua sombra no escuro
na minha risada mais franca.
Prove-me que o céu é azul
diga-me quantas estrelas existem
se os teus olhos são castanhos
é porque eles persistem.
Não sei quem foram meus ancestrais
se eles foram ou voltaram
não sei se eram homens ou animais
não sei se um dia eles pensaram.
Agora tudo mudou
existem cristãos e ateus
mas todos eles existem
em usar em vão o nome de Deus.


**POESIA CRIADA EM 1994

Nenhum comentário:

Postar um comentário