domingo, 19 de fevereiro de 2012

Absinto



Faça-me uma lista de amores
divirta-me com seus rancores
olhai os frutos maduros
perdure o teu ser.
Erga as mãos para o céu
seque as lágrimas da infância
mate sua fome de vingança
aprenda os ensinamentos.
Mereça ser perdoada
beba o vinho tinto
leia as minhas cartas
mas não me deixe faminto.
Se te amo ou te odeio não há diferença alguma
porque inexplicavelmente
sou teu todo grande amor.
Faça-me uma cara infantil
divirta-me com seu olhar
olhe para todos por ai
mas não deixe nunca este amor acabar.

***POESIA CRIADA EM 1994

Nenhum comentário:

Postar um comentário