quarta-feira, 2 de novembro de 2011

Além da noite


À noite!
A noite é tão escura
a sua escuridão às vezes da medo nas pessoas
mas eu não sinto medo, me sinto calmo
é quando chega à noite que eu descanso
mas também penso e é só fechar os olhos
vejo o meu passado passar pela minha frente
vejo o meu presente se desfazer
e se mesclar ao meu futuro já acontecido
tantas pessoas, tantos mares, tantas terras
e nada pertence a ninguém
e tudo e todos só têm a noite como refém
e eu só tenho a escuridão ao meu lado
tão calada, tão agressiva, tão delicada
tenho outras saídas, mas não sei por onde ir
e tudo o que faço é ficar com a noite
com minhas tristezas, magoas e ilusões.

***POESIA CRIADA EM 1994

Nenhum comentário:

Postar um comentário