domingo, 16 de outubro de 2011

Malaika


As estrelas brilham no céu
e lembro de passados oscilantes
que iluminaram meu espírito
em carrosséis de magias cintilantes.
Vou voar perto das estrelas
quero sentir teu calor, tão frio
estarei tão alto, abaixo de aquário
que verei o teu meu reflexo no rio.
Voarei tão rápido quanto uma estrela cadente
decadente, demente, supernova
até ser engolido por um buraco negro.
As estrelas brilham no céu
e lembro-me de futuros promíscuos
que irão me derrubar, me perverter, me converter
em um presente que não quero ter.

***POESIA CRIADA EM 1994

Nenhum comentário:

Postar um comentário