domingo, 23 de outubro de 2011

Cais do porto inseguro


Vi o seu rosto na neblina espessa
uma dor insuportável em minha cabeça
mostrou-me caminhos escuros e irreais
e a cada passo que eu dava, via você
não entendo as coisas do coração
mas a solidão que sinto agora
faz-me lembrar de velhos momentos
sou assim mesmo, um saudosista incorrigível
mas se é verdade que amar é sofrer
quero ser sempre um sofredor.
Sou assim mesmo, às vezes escrevo por escrever
tantos versos sem ninguém entender
mas o importante é que eu entendo
mas também choro, às vezes sem motivo
mas que motivos nos levam a chorar?
Talvez olhando para o mar?
Talvez lembrando um antigo amor?
Talvez rezando, pedindo perdão?
Talvez por uma dor insuportável na cabeça?
O que nos leva a chorar?
Talvez o medo de enfrentarmos a verdade
que somos apenas humanos
talvez eu seja sentimental demais.

***POESIA CRIADA EM 1994

Nenhum comentário:

Postar um comentário