quarta-feira, 7 de setembro de 2011

Insensatez


A sensação sentida numa curva de estrada
é a mesma que senti ao ficar só
é a mesma que senti ao acariciar as suas curvas
mas não é a mesma quando a vida vira pó.
Vou me atirar de um grande precipício
e cair em cima de um colchão d’água
vou ficar aqui sentado vendo o principio
vou acabar de ver você, sem mágoa.
Quero segurar seu nome com as mãos
e sentir teu calor de uma geladeira
vou ser seu tudo, mesmo não sendo nada
assistirei a vida despencar de uma ladeira.
Se você não entendeu estas minhas palavras
não entendeu o sentido do seu clamor
então não fique me dizendo que é bonito
se você não entende de amor.

***POESIA CRIADA EM 1994

Nenhum comentário:

Postar um comentário