domingo, 24 de julho de 2011

Paciência


Gotas de orvalho sob as folhas
perfume de flores campestres
pequenos animais da floresta
e você ali, parada me olhando.
O sol que nasceu iluminou o seu rosto
a leve brisa esvoaçavam seus cabelos
os pássaros entoavam cantos para você
e eu aqui, parado te olhando.
O verde me dizia para falar com você
mas a mãe natureza pediu paciência
estávamos-nos ali, parados e se olhando.
Dei um passo à frente e você recuou
eu queria me apresentar, mas não sei quem sou
tinha vários caminhos, mas não sabia por aonde ir.
Então você me virou as costas
fiquei triste e muito irado
sequei as gotas do orvalho
quebrei asa flores e matei os pássaros
só então entendi as palavras da mãe natureza.
Um olhar nem sempre quer dizer amor
um olhar é apenas um olhar
e se eu tivesse paciência
não teria me enganado
ajoelhei-me e chorei...
...chorei...
... de tristeza...
...chorei...



***POESIA CRIADA EM 1994

Nenhum comentário:

Postar um comentário