quarta-feira, 2 de fevereiro de 2011

Desespero*


Minha cabeça parece que vai explodir
junto com a minha paixão
não tenho como fugir
aos poucos eu vou caindo no chão.
E aos poucos eu vou morrendo
com você no meu coração
isto é tudo muito lento
aos poucos começa e decomposição.
A decomposição do meu amor
não chega ao fim nunca
passo horas de horror
vejo a minha vida numa lupa.
Uma vida tão microscópica e vulgar
que penso o porquê da minha existência
já que eu não posso amar
Deus me tira dessa decadência.
Minha vida já durou muito
minha cabeça não quer explodir
não existe ninguém neste mundo
que possa me ajudar.
Ó Deus termina logo com isso
acabe com minha tristeza
me leve para o paraíso
mate-me, com toda certeza.

Eu quero morrer!

***poesia criada em 1992

Um comentário: