domingo, 14 de novembro de 2010

O dia em que o ódio morreu*


Meus dias estão contados
sei que vai chegar o fim
p
or favor, não derramem lágrimas
porque em vida eu muito chorei
distribuam sorrisos
e digam amém
porque morrer
não é em vão
e a cada hora que passar
toquem uma musica romântica
e na hora de me enterrar
se beijem com muito amor
e na lápide escrevam:
aqui nasce o amor, a paixão e a pureza.
**POESIA CRIADA EM 1990

Nenhum comentário:

Postar um comentário